Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Antes de Entrar Aristóteles

Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu

Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu

Antes de Entrar Aristóteles

12
Nov17

A bitola da ironia

Ricardo Nobre

A notícia de que a «Carris [empresa de autocarros de Lisboa] quer dar descontos a jovens entre os 14 e os 18 anos» é boa e não merece contestação, embora o utente não deixe de sorrir à ironia do presidente da empresa, que afirmou: «Os jovens a caminho da universidade "não têm nenhum incentivo adicional" para andar nos transportes públicos». O primeiro incentivo seria a fiabilidade, pontualidade ou existência do serviço. Já aqui se falou no caso de um autocarro cujo percurso é muitas vezes encurtado ao eixo Entrecampos-Rato (servido de Metro), deixando de fora (a ironia vem agora) a Cidade Universitária, além da Estrela, Avenida Infante Santo e toda a freguesia de Alcântara (incluindo interface com os comboios da linha de Cascais e da linha da Azambuja).

M. G. Bordalo Pinheiro, «Americanos e Ripperts», Pontos nos ii de 2 de Maio de 1889

comentar texto:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

título e imagem de cabeçalho

O título deste blogue é uma expressão de Aquilino Ribeiro que ocorre na última frase do segundo volume de Luís de Camões: Fabuloso. Verdadeiro (Amadora: Bertrand, 1974; 1.ª ed. 1958), que se lê: «Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu antes de entrar Aristóteles.»
No cabeçalho, pormenor da «Escola de Atenas» (Scuola di Atene), de Rafael Sanzio, terminada em 1511. A imagem foi retirada dos Wikipedia Commons e encontra-se sob domínio público.

memória

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

classificados

Procuro Vocabulário da Língua Portuguesa, de Francisco Rebelo Gonçalves (Coimbra Editora, 1966). Caso esteja interessado/a em vender-mo (a qualquer preço) ou se sabe onde o posso encontrar, agradeço o contacto.