Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Antes de Entrar Aristóteles

Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu

Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu

Antes de Entrar Aristóteles

02
Ago17

Férias sem literatura portuguesa

Ricardo Nobre

Exceptuando o contexto escolar, sou muito desfavorável ao aconselhamento de leituras. Todas as pessoas têm interesses e visões particulares sobre o mundo, o sentimento, a beleza, a arte, enfim; penso que um grande livro lido na altura errada pode significar a desilusão que a literatura não merece.
Isto não significa que eu não leia (por curiosidade profissional, confesso) listas e sugestões de leitura. Recentemente, apreciei muito a lista que o El País-Brasil fez sobre obras-primas cujos leitores dificilmente chegaram ao fim (há sempre a vaidade de encontrar romances que já li, embora reconheça a dificuldade que tive em terminá-los).
Chegando Julho e Agosto, sobretudo, é tradição jornais e revistas darem atenção a locais que sugerem para férias; por vezes, acrescenta-se uma sugestão de leitura (dando a entender que as férias é o momento de pôr leituras em dia). O Doutor Carlos Fiolhais, Professor Catedrático da Universidade de Coimbra, no Público de hoje, segue a tendência de Verão e escreve apenas para indicar livros para ler nas férias. Há pouca ficção e interessantemente obras sobre a cultura portuguesa. Tudo isto está muito bem se eu não concordasse com Eduardo Lourenço (alguém discordará?), que, na entrevista que o mesmo jornal publicou na segunda-feira passada, à pergunta «Sempre analisou as questões da identidade a partir da literatura e sobretudo da poesia. A melhor maneira de conhecer um povo é a partir da literatura que ele produz?» afirma claramente:

«Sim, a arte em geral. A literatura não tem uma função. É um efeito do que somos de mais misterioso, de mais enigmático e ao mesmo tempo de mais ambicioso. Penso que, de todas as artes, a que revela o que a Humanidade é de mais profundo e absoluto é a música. A literatura é uma música um tom abaixo. Não se explica, não é da ordem do conceito como a filosofia. É natural que os homens reservem à literatura a sua maior atenção. A literatura é o nosso discurso fantasmático, absoluto. Todas as culturas se definem pela relação com o seu próprio imaginário. A encarnação dele é a literatura.»

A lista de Carlos Fiolhais, antigo director da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, infelizmente, não indica ao leitor que gosta de sugestões um único título de literatura portuguesa, por isso eu permito-me sobrepor à lista do Professor de Física (e excelente leitor de literatura portuguesa, que eu sei que é) também uma sugestão. Quem quer aproveitar estes meses para ler, quem tem interesses sobre a cultura portuguesa, saber o que escrevem autores portugueses, como eles pensam o país, o mundo, os afectos que leia literatura portuguesa. Porque, parafrasenado Sebastião da Gama, ler é, olhe, é ler. Em português, se me permitem acrescentar.

título e imagem de cabeçalho

O título deste blogue é uma expressão de Aquilino Ribeiro que ocorre na última frase do segundo volume de Luís de Camões: Fabuloso. Verdadeiro (Amadora: Bertrand, 1974; 1.ª ed. 1958), que se lê: «Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu antes de entrar Aristóteles.»
No cabeçalho, pormenor da «Escola de Atenas» (Scuola di Atene), de Rafael Sanzio, terminada em 1511. A imagem foi retirada dos Wikipedia Commons e encontra-se sob domínio público.

memória

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

classificados

Procuro Vocabulário da Língua Portuguesa, de Francisco Rebelo Gonçalves (Coimbra Editora, 1966). Caso esteja interessado/a em vender-mo (a qualquer preço) ou se sabe onde o posso encontrar, agradeço o contacto.