Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Antes de Entrar Aristóteles

Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu

Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu

Antes de Entrar Aristóteles

25
Jul19

Irresponsabilidade jornalística

Ricardo Nobre

O texto de Clara Viana, publicado no Público de ontem, sobre um excerto d'Os Lusíadas que saiu no Exame Nacional de Português é a prova de que os jornalistas se comportam como provocadores profissionais, amplificando o ruído que não tem razão de ser.

Recordo que o Exame Nacional de Português em lado nenhum tem de incluir apenas excertos de obras estudadas em aula. Aliás, esta prova começa com um texto de Manuel Alegre. Se os estudantes estiveram doze anos na escola, deveriam estar aptos a ler qualquer texto escrito em língua portuguesa.

Eu, que nem sou professor de português e que há muito tempo não leio Os Lusíadas, comecei a ler as estrofes em causa e soube identificar que se tratava de um trecho do concílio dos deuses no mar. Consultado o exame, essa informação estava lá, bem como um extenso vocabulário (eventualmente destinado aos alunos que nunca foram às aulas). Não estou a dizer que sou melhor que os outros (e muito menos que a minha memória é boa): é apenas um texto escrito em português, acerca do qual se faziam perguntas no âmbito de processos retóricos e da argumentação que fazem parte do programa (saber a estrutura d'Os Lusíadas também), e não é por isso que é preciso ler Aristóteles.

Clara Viana e professora de português que expôs a «situação», aprendei a ler. Começai pelos clássicos. Talvez Os Lusíadas. Integralmente. Muito melhor que o Público.

4 comentários

comentar texto

título e imagem de cabeçalho

O título deste blogue é uma expressão de Aquilino Ribeiro que ocorre na última frase do segundo volume de Luís de Camões: Fabuloso. Verdadeiro (Amadora: Bertrand, 1974; 1.ª ed. 1958), que se lê: «Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu antes de entrar Aristóteles.»
No cabeçalho, pormenor da «Escola de Atenas» (Scuola di Atene), de Rafael Sanzio, terminada em 1511. A imagem foi retirada dos Wikipedia Commons e encontra-se sob domínio público.

memória

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

classificados

Procuro Vocabulário da Língua Portuguesa, de Francisco Rebelo Gonçalves (Coimbra Editora, 1966). Caso esteja interessado/a em vender-mo (a qualquer preço) ou se sabe onde o posso encontrar, agradeço o contacto.