Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Antes de Entrar Aristóteles

Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu

Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu

Antes de Entrar Aristóteles

04
Mai19

Preço de mercado

Ricardo Nobre

Acaba de ser lançada pela Relógio D'Água uma nova edição de Nana, romance de Zola originalmente publicado em 1880 (fazendo parte da série Les Rougon-Macquart). Custa, com um desconto de 10 %, 17,10€, ou seja, quatro vezes e meia mais do que a versão da Folio.

Como pode ser este um preço justo (ou «de mercado») se o salário mínimo nacional é 600€? Assim, ler Zola custa 2,85 % do salário mínimo. Claro que isto tem repercussões: Portugal é um país com elevados níveis de iliteracia, problema nunca completamente resolvido. Mas claro que a grande preocupação é com a literacia digital.

A culpa não é, evidentemente, da Relógio D'Água (editora da minha preferência e da qual se compõe a maior parte das literaturas estrangeiras modernas da minha biblioteca): é do Estado (e, por conseguinte, nossa), que ainda não entendeu que mais vale publicar livros baratos do que gastar dinheiro apenas em campanhas de promoção de leitura (eu sei, dá mais espectáculo, mas menos resultados). Queremos que os jovens leiam para serem adultos que lêem. Mas ler o quê, com que dinheiro? E os adultos que já sabem ler e querem ler mais e não podem dispensar 2,85 % do salário para comprar Zola?

título e imagem de cabeçalho

O título deste blogue é uma expressão de Aquilino Ribeiro que ocorre na última frase do segundo volume de Luís de Camões: Fabuloso. Verdadeiro (Amadora: Bertrand, 1974; 1.ª ed. 1958), que se lê: «Tudo se há-de passar como se estivéssemos no Liceu antes de entrar Aristóteles.»
No cabeçalho, pormenor da «Escola de Atenas» (Scuola di Atene), de Rafael Sanzio, terminada em 1511. A imagem foi retirada dos Wikipedia Commons e encontra-se sob domínio público.

memória

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

classificados

Procuro Vocabulário da Língua Portuguesa, de Francisco Rebelo Gonçalves (Coimbra Editora, 1966). Caso esteja interessado/a em vender-mo (a qualquer preço) ou se sabe onde o posso encontrar, agradeço o contacto.